Exposição Coletiva | Mostra Acervo Corpo Nú

O Nu acompanha toda história da arte, seja na pintura ou na escultura e, recentemente, também na fotografia.
Nos séculos XVI, XVII e XVIII, a representação do nu está profundamente ligada ao ensino técnico, desenhos e estudos de anatomia no interior das escolas de arte, estudados a partir de modelos vivos. Já no século XIX, há uma forte ligação com o desenho e com o padrão do "belo ideal" clássico, visto principalmente na escultura.
No Brasil, a partir do século XIX, surgiram múltiplas concepções do corpo nu, algumas mais alegóricas e outras realistas.
O acervo de Nu da Galeria Lume, mostra através de fotografias e esculturas, algumas das mais diversas representações do corpo humano na arte contemporânea brasileira, com obras dos artistas Florian Raiss, Gabriel Wickbold e Gal Oppido.
Gabriel Wickbold expõem a relação do homem com a natureza. O corpo serve como suporte insignificante e opaco ao inevitável domínio da natureza. As fotografias flertam com a arte figurativa grega pelas cores, pela força dos personagens e o realce à observação direta dos corpos.
O trabalho de Gal Oppido, um dos fotógrafos mais respeitados da atualidade, é uma estudo sobre a ação da gravidade enquanto modeladora da expressão corporal. O artista estuda as influências sobre o corpo e todas suas possibilidades.
O renomado artista plástico Florian Raiss apresenta alguns das suas esculturas e desenhos que exploram o corpo e a dualidade da condição humana, retomando a questão do homem em resistência ao seu “eu” primitivo.